Para dor, a morfina.
Para o amor, a dor fina.

Eu me chamo Antônio (via segredou)

(Source: potencias)

Aviso: eu não sou legal. Não gosto de gente burra, que força intimidade nas primeiras conversas e de repetir a mesma coisa duas vezes ou ter que responder perguntar óbvias até pra uma porta. Não me apego a praticamente ninguém… Mas quando me apego, é pra valer. Sou o tipo de amigo que não tá sempre bem, mas tá sempre junto. Sou facilmente conquistado pela boca. Tenho mania de corrigir os outros (e ficar puto quando sou corrigido), ironizar tudo — o tempo todo — e sou bem chatinho. Eu gosto de cafuné, dormir de ladinho e de chupões no pescoço. Outra coisa: uma dose de grosseria é sempre bom.
Vinícius Kretek.  (via segredou)

(Source: onefortheroads)

É, eu tenho mesmo essa mania boba de achar que as pessoas vão fazer por mim o mesmo que eu faria por elas.
Geovane Pereira.   (via ofuscador)

(Source: renovador)

Não aceito mais sua ausência ocupando tanto espaço dentro de mim.
Relatos de Tess (via sincronizar)

(Source: deprimentes)

Falta calor nas palavras, amor no olhar e emoção nas atitudes mais simples.
Jhennifer Werneck  (via segredou)
Eram dez horas da noite. A lua estava cheia e minha vida não tinha sentido.
Charles Bukowski (via segredou)
Acho que não são os outros o problema sou eu, por levar o amor tão a sério.
Jhennifer Werneck  (via segredou)
Eu compreendo quando diz que algo dói em seu peito. Eu, infelizmente, te entendo, por que também algo dói no meu. Quando conta sua história, sempre me lembro da minha. Eu sei que existem bilhões de pessoas e que uma delas há de me fazer feliz. Mas seria tão bom se não houvesse outra, se o ciclo, o mundo e o tempo paralisam-se, por coincidência em um abraço seu.
Jhennifer Werneck (via segredou)